• escolaspeniche

PROJETO LER + ESPAÇO

Atualizado: 31 de mai.

Os alunos do 7.º ano participaram no projeto Ler + Espaço do Plano Nacional de Leitura. Neste âmbito, criaram um texto de ficção e construíram maquetes do telescópio espacial James Webb. Para visualizar o resumo das atividades desenvolvidas, clique no link apresentado a seguir.

https://view.genial.ly/6273f0594f6de500187564f2


Escola Básica de Peniche

Projeto Ler + Espaço

O futuro a ler o passado!


A missão


Um telescópio ia ser lançado ao espaço. Ariane 5 ia finalmente ejetar o maior telescópio já

construído atualmente. James Webb estava pronto para ser posto à prova. Estava na hora

de completar a sua missão. E não podia falhar. 

Uma vez no espaço, o espelho e o escudo de Webb estavam projetados para se abrirem

perante a imensidade que é o universo. O único problema é que James era incrivelmente

tímido e inseguro. A ideia de falhar nesta missão não lhe era minimamente agradável.

Mesmo sabendo que tinha de o fazer e que os cientistas que demoraram anos a construí-lo

estavam a contar com ele, James não queria e havia de encontrar uma solução. 

O temível dia tinha chegado e James estava mais nervoso do que nunca. Sabia que não

podia dizer que não, pois isso ia desapontar todos os que contavam com ele, e tal não podia

acontecer. 

O nosso telescópio estava pronto para ser lançado, e Ariane 5 estava mortinho para, mais

uma vez, fazer o trabalho de que tanto gostava. Outro que Webb não queria desapontar... 

Na verdade, James até tinha pensado em dizer que não se sentia confortável. Sim, ele ia

dizer o que sentia, ele ia mesmo! Porém, foi tarde demais, Ariane 5 lançou o telescópio e

Webb foi projetado pelo ar. Com os olhos fortemente fechados, James esperou até o

impulso parar e ficar parado no meio do espaço. O impulso finalmente parou e James abriu

os olhos. Olhando para os dois lados, só via breu e isso assustava-o muito. (Talvez eu

devesse ter mencionado que o nosso telescópio também tinha medo do escuro.) James

decidiu então andar pelo espaço para tentar parar o seu nervosismo e tornar a sua missão

num sucesso. 

Andando pelo espaço, James avistou um ponto redondo que foi ficando cada vez maior à

medida que se aproximava. Vermelho acastanhado era a cor que mais predominava e

James rapidamente percebeu que estava diante do planeta vermelho, Marte.  

Quando James parou ao lado de Marte, o vermelho sorriu e dirigiu-se ao telescópio. 

- Olá, amigo! Estás bom? Como é que te chamas? Vens de onde? Desculpa, fico nervoso

quando aparece alguém, não é lá muito habitual. 

- Ora essa! Sem problemas! Sou o James Webb, o mais novo telescópio espacial! E vim do

planeta com vida, a Terra! 

- Muito bem! Gostava de saber como é o único planeta com vida detetada neste Sistema

Solar! 

- Oh, amigo, a Terra costumava ser um planeta maravilhoso, mas os homens conseguiram

poluir a própria casa sem remorso algum e isso está a acabar com o nosso planeta. 

- Que coisa terrivelmente terrível! Já experimentaram explicar aos humanos o que está a

acontecer? De certeza que eles perceberiam e ajudariam a salvar o seu ambiente. 


- Já tentámos, Marte, mas sem sucesso... 

- De verdade?! Que facto traumático! Mas, o que te traz aqui? 

- Tenho uma missão a cumprir. 

- Que missão, exatamente? 

- Tenho de colocar aqui um observatório para capturar a radiação infravermelha.  

- Parece giro! 

- E é! O único problema é que não posso falhar, e estou muito nervoso, e quando eu fico

nervoso as coisas não acabam muito bem. 

- Oh, então o problema é o teu nervosismo? Não te preocupes que isso resolve-se. 

- Como, exatamente? 

- Simples, é só fechares os olhos e pensares nas duas situações possíveis, e depois é só

pensares qual é a mais provável de acontecer. 

- Então, imagino-me a colocar o observatório e a conseguir completar a missão e depois a

falhar terrivelmente? 

- Sim, mais ou menos isso. 

- Vou tentar, então. 

James fechou os olhos e imaginou-se a colocar o observatório e a completar a sua missão e

depois tentou imaginar que falhava, mas apercebeu-se que não se conseguia lembrar de

nenhum motivo aparente para a sua missão não correr bem. 

Quando abriu os olhos, o telescópio abriu um sorriso no rosto e agradeceu ao seu novo

amigo. 

- Obrigada, Marte! Muito obrigada mesmo! Não há motivos para não conseguir, já não me

sinto nervoso, sinto-me capaz! 

- Ora essa, amigo! Sem problemas, fiz o que gosto: ajudar. Agora vai e completa a tua

missão! Tu consegues! 

Então, James saiu de perto do seu amigo, e, sem medo de falhar, colocou o observatório

com excelência. Não podia estar mais orgulhoso de si próprio. 

Quando chegou à Terra, todos bateram palmas, e Webb nunca se irá esquecer do amigo

que fez no espaço, Marte, mais conhecido como planeta vermelho.







24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo